sábado, 26 de abril de 2014

SANTA CRUZ E PORTUGUESA VOLTAM A SE ENFRENTAR APÓS SETE ANOS

A Portuguesa será um adversário difícil de ser esquecido pelo torcedor coral. Não é fácil tirar da memória aquele 26/11/05. Jogo válido pela última rodada da Série B. Dois gols de Reinaldo. E, de virada, o acesso à Série A para alegrar os mais de 70 mil torcedores presentes no Arruda. Dessa vez os dois clubes se enfrentam em situações diferentes, mas na mesma divisão.
Após aquele acesso, em 2005, Santa Cruz e Portuguesa voltaram a se enfrentar em 2007. Duas partidas válidas também pela segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Dois empates por 2x2.
Ao total, são 23 jogos entre os paulistas diante dos pernambucanos. Foram 14 empates, 5 vitórias para o Santa e 4 para a Lusa. A última vitória do tricolor, jogando na casa do adversário aconteceu há muito tempo. Foi no Brasileirão de 1972, por 1x0.

Depois de um início de trabalho tenso, com direito a invasão de vestiário por um grupo de torcedores, o Santa Cruz vai para seu segundo compromisso na Série B estreando o técnico Sérgio Guedes, neste sábado (26), diante da Portuguesa, no Canindé, em São Paulo, a partir das 16h20. O time tenta amenizar a crise, instalada após a eliminação nas semifinais do Campeonato Pernambucano e ampliada pela perda do terceiro lugar para o Salgueiro.
Na Segundona, os corais estrearam com um insosso empate por 1×1 frente ao ABC, que provocou o pedido de demissão do técnico Vica. Para dar uma nova vida, o novo comandante promoveu uma pequena mudança tática. O segundo atacante, que já foi Flávio Caça Rato e depois Betinho, foi sumprimido para entrada de mais um meia. O escolhido foi Renatinho, que formará um trio criativo com Raul e Carlos Alberto, este de volta após pedir para não jogar contra o ABC e também ficar de fora diante do Carcará. Na frente, apenas o artilheiro Leo Gamalho. De Tiago Cardoso até a dupla de volantes, a formação é a mesma do Pernambucano.
Mais do que uma nova organização de jogo, Guedes quer uma atitude diferente de seus novos comandados. O trabalho para levantar a cabeça dos jogadores foi maior do que o trabalho de campo. “Temos que mudar o perfil. Jogar no Santa Cruz já serve como motivação. É preciso oferecer o melhor e tem que começar a partir do jogo com a Portuguesa”, disse. Em relação às opções que fez para a equipe, o técnico tem certeza de que todos que estão em campo entenderam o que foi passado. Ele quer um time impondo seu jogo, apesar de atuar nos domínios do adversário. “Quero agressivvidade. Quero um time se preocupando em dominar o jogo, se impondo e não se expondo para ofercer o contra-atque ao adversário”, explicou.
Já o atacante Leo Gamalho acredita que o grupo tem condições de dar a volta por cima, mesmo depois de toda pressão que o episódio com a torcida impôs aos atletas. “Tenho certeza de que iremos reagir. Não foi fácil assimilar tudo que ocorreu nas outras competições. Mas temos um grupo bom, forte e que pode dar a volta por cima”, explicou. Ele também desejou boa sorte ao técnico, com quem trabalhou no Ceará. “Sérgio é um excelente profissional. Tenho certeza de que poderemos fazer um bom jogo contra a Portuguesa.”
Sobre sua conquista pessoal, a de artilheiro do Pernambucano 2014, Gamalho reconheceu a satisfação pelo que fez, mas trocaria a conquista pelo tetracampeonato. “Pessoalmente foi muito bom para mim. No entanto, o título seria muito mais importante. A minha função não é apenas marcar gols. É também ajudar os companheiros da melhor forma possível. Entro em campo para vencer com os meus companheiros e não pensando individualmente”, pontuou.
Ficha do jogo:
Portuguesa: Gledson; Régis, Gustavo, Djair e Eduardo; Diego Silva, Coutinho, Gabriel Xavier e Felipe Nunes; Vander e Romão. Técnico: Argel Fucks.
Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Zeca; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Raul, Carlos Alberto e Renatinho; Leo Gamalho. Técnico: Sérgio Guedes.
Local: Estádio Canindé, em São Paulo. Horário: 16h20. Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF). Assistentes: Wendel Gouveira e Lilian Fernandes (RJ).
JC/Coralnet

Nenhum comentário:

Postar um comentário